quinta-feira, 3 de março de 2011

A oração do " Pai Nosso" parte 2

 

Pr. Paulo David
Mat. 6:9
“... santificado seja o teu nome;”
A primeira razão por que devemos orar é porque através dela temos comunhão com o Pai. Isto deve vir antes de tudo. Estar na presença de Deus nosso Pai é adentrar nos lugares celestiais.
Efésios 1:3
“3 Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo;”
Efésios 2:6
“6 E nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus;”
Quando estamos na presença de Deus nosso Pai, estamos no lugar Santíssimo. Ali, o nosso único desejo é adorá-lo.
Apocalipse 4:8
“8 E os quatro animais tinham, cada um de per si, seis asas, e ao redor, e por dentro, estavam cheios de olhos; e não descansam nem de dia nem de noite, dizendo: Santo, Santo, Santo, é o Senhor Deus, o Todo-Poderoso, que era, e que é, e que há de vir.”
Quando realmente entramos na presença daquele que está sentado no trono, as únicas palavras que ousamos pronunciar são:” Santificado seja o teu nome”.
Não é por acaso que, no tabernáculo, o lugar onde ficava a Arca da Aliança chamava-se Santo dos Santos. Esta Arca era feita de madeira de acácia e era revestida de ouro puro, sobre ela estava o propiciatório, onde havia dois querubins feitos de ouro batido. Este era o lugar da presença de Deus. Como uma figura, a Arca feita de madeira e revestida de ouro aponta para Jesus. Enquanto que a madeira simboliza a natureza humana, na qual Deus veio ao mundo, e o ouro, que a revestia, simbolizava a presença do Pai, a natureza Divina, que NELE estava.
João 14:9 [2]
“9 Disse-lhe Jesus: Estou há tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido, Filipe? Quem me vê a mim vê o Pai; e como dizes tu: Mostra-nos o Pai? “
João 14:10
“10 Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo não as digo de mim mesmo, mas o Pai, que está em mim, é quem faz as obras.”
II Coríntios 5:19
“19 Isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados; e pôs em nós a palavra da reconciliação.”
O Novo testamento não deixa dúvidas sobre quem é o Senhor Jesus Cristo. Antes de vir ao mundo como homem, ele estava nos céus, como Deus, o Pai. Na encarnação ele esvaziou-se de si mesmo e assumiu a natureza humana, e assim ele veio ao mundo. Col.2:5-11

"5 De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus,
6 Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus,
7 Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens;
8 E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz.
9 Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome;
10 Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra,
11 E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o SENHOR, para glória de Deus Pai.
O Fato de Deus ter vindo a terra como homem, não fez com que Ele deixasse de ser Deus. Ele continuou sendo Deus, o Pai no céu, e na terra, o Espírito Santo. Mas em carne, Ele era verdadeiramente homem. Vejamos o que as escrituras ensinam sobre isso:
João 3:13
“13 Ora, ninguém subiu ao céu, senão o que desceu do céu, o Filho do homem, QUE ESTÁ NO CÉU.” Jesus aqui afirma claramente que ele, mesmo estando na terra, estava também no céu. Ele disse: “ninguém subiu ao céu, senão o que desceu do céu”. Só há um Deus no céu, só um assentado no trono, e esse é o mesmo que desceu do céu.
I Timóteo 3:16
“16 E, sem dúvida alguma, grande é o mistério da piedade: Deus se manifestou em carne, foi justificado no Espírito, visto dos anjos, pregado aos gentios, crido no mundo, recebido acima na glória.”
Ele veio como homem a terra, mas continuou como Deus no céu. O Filho na terra, o Pai no céu. Um único Deus mas duas naturezas bem distintas, a humana, o Filho,a Divina, o Pai. É claro que como homem, Jesus estava limitado pela sua natureza humana, por isso ele era totalmente dependente do Pai, em sua natureza Divina. Ele precisava falar com o Pai e ouvir o Pai falar. Como Pai ele era onisciente, onipresente e onipotente, mas como homem ele não sabia sequer o dia e hora de sua segunda vinda. Sim ele nada sabia a não ser o que o Pai revelava a ele. É isso o que as escrituras ensinam.
Só existe um único Deus. É por isso que os apóstolos sabiam que o nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo é um único nome, o Senhor Jesus;
Mat. 28:19
“19 Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;”
Atos 2:38
“38 E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo;”
Jesus Cristo é o nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.
Colossenses 2:9
“9 Porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade;”
É a invocação DO NOME do Senhor que nos dá a salvação.
Romanos 10:13
“13 Porque todo aquele que invocar o nome do SENHOR será salvo.”
Jesus é o nome que está sobre todo o nome. É o nome revelado de Deus.
João 17:6
“6 Manifestei o teu nome aos homens que do mundo me deste; eram teus, e tu mos deste, e guardaram a tua palavra.”
Filipenses 2:9 [2]
“9 Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome;”
Filipenses 2:10
“10 Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra,”
No batismo o nome de Jesus é invocado sobre aquele que está sendo batizado.
Tiago 2:7
“7 Porventura não blasfemam estes o bom nome que sobre vós foi invocado?”
Atos 22:16
“16 E agora por que te deténs? Levanta-te, e batiza-te, e lava os teus pecados, invocando o nome do Senhor.”
Em Mateus 28: 19 temos o mandamento de Jesus, em Atos 2:38 temos o cumprimento do mandamento. Os discípulos sabiam que JESUS é o nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, porque eles sabiam que o Pai, o Filho e o Espírito Santos não são pessoas distintas de uma mesma divindade. Eles sabiam também que era a invocação DO NOME DE JESUS que tornava o batismo eficaz no que se refere a receber Jesus como Salvador e Senhor.
Na igreja primitiva o batismo era a maneira de se receber o Senhor Jesus como Salvador e Senhor.
Sabemos, pela história, que a apostasia romana, além de introduzir crenças pagãs e mitológicas sobre a Divindade, ensinando que Deus seria uma unidade de três pessoas divinas distintas, o que é totalmente contra o que as escrituras, através dos patriarcas, profetas e apóstolos, ensinam. Esta mudaria também, como conseqüência, a formula do batismo, deixando de se invocar o nome do Senhor, passando no lugar, a invocação dos títulos Pai, Filho, e Espírito Santo, sem contudo, indentifica-los com o nome, esvaziando assim o significado do batismo, cuja eficácia está na invocação do nome do Senhor Jesus.
Apocalipse 22:4
"4 E verão o seu rosto, e nas suas testas estará o seu nome."
Apocalipse 14:1
"1 E OLHEI, e eis que estava o Cordeiro sobre o monte Sião, e com ele cento e quarenta e quatro mil, que em suas testas tinham escrito o nome de seu Pai. "
De quem é o rosto que veremos ao chegarmos no céu? Qual é o nome que está escrito na testa dos servos do Senhor?
Ao lermos estes dois versícuos vemos claramente que no céu veremos o Pai no rosto de Jesus, e que, na testa temos o nome de Jesus que é o nome do Pai. 
SANTIFICADO SEJA O NOME DE JESUS.


Um comentário:

  1. DEUS é meu amigo, por isso eu me sinto forte.

    SANTO É O TEU NOME.

    ResponderExcluir